Equity Capital Markets

(ECM)

O que é Equity Capital Markets?

Equity Capital Markets (ECM) é a divisão do mercado de capitais na qual empresas e instituições financeiras negociam instrumentos financeiros e levantam capital acionário para as empresas. Dentre os participantes de ECM destacam-se os bancos de investimento, corretoras, investidores de varejo, capitalistas de risco, empresas de private equity, investidores anjos e empresas de valores mobiliários.

 

O ECM pode ser confundido com o mercado de ações, no entanto, esta área abrange uma gama mais ampla de instrumentos financeiros e atividades, como por exemplo, colocações privadas, negociação de derivativos de ações e construção de livros. O ECM é dividido entre mercado primário e mercado secundário, tais divisões referem-se à fase de negociação das ações de uma empresa de capital aberto em bolsa de valores.

O mercado secundário não capta novos recursos para a empresa, visto que não implica em novas emissões. Dessa forma, o mercado secundário não possui nenhuma influência direta para a empresa. É nesse mercado que as ações, já em circulação, são compradas e vendidas, ou seja, são transferidas de um investidor para um novo acionista. Por isso, as transações realizadas na Bolsa de Valores correspondem ao mercado secundário.

MERCADO SECUNDÁRIO

O mercado primário é subdividido entre mercado de colocação privada e mercado público primário. No mercado de colocação privada, as empresas aumentam o capital privado por meio de ações não cotadas, negociadas diretamente aos investidores. Já no mercado público, as empresas privadas podem se tornar públicas por meio de IPOs, e as empresas que já são públicas, listadas, podem emitir novas participações por meio de novas emissões. Note que, quem recebe os recursos obtidos nas negociações do mercado primários são as empresas.

MERCADO PRIMÁRIO

X

Instrumentos Financeiros

O capital acionário é levantado por meio da venda de parte do direito aos ativos de uma empresa em troca de dinheiro. Assim, o valor dos ativos e negócios atuais da empresa define o valor de seu capital acionário. Os seguintes instrumentos financeiros são negociados em ECM:

Ações ordinárias

As ações ordinárias garantem o direito a voto e à participação nas decisões da companhia. Entretanto, os acionistas ordinários não têm direito legal de receber dividendos. Os acionistas ordinários têm direito a uma reivindicação nos lucros da empresa somente depois que os acionistas preferenciais tiverem sido pagos.

 

A variabilidade nos retornos dos acionistas depende da relação entre dívida e patrimônio da empresa. Quanto maior a proporção de financiamento da dívida, menor o número de ações com direito aos lucros da empresa. Se os lucros excederem os pagamentos de juros, o lucro excedente é distribuído aos acionistas. No entanto, se os pagamentos de juros excederem os lucros, a perda é distribuída aos acionistas. Quanto maior a relação dívida / patrimônio, maior será a variabilidade no pagamento de dividendos (e vice-versa).

 

Ações preferenciais

As ações preferenciais são um título híbrido porque combinam algumas características de debêntures e ações ordinárias. São como debêntures porque têm uma taxa fixa de dividendos, têm direito à receita e aos ativos da empresa antes dos outros acionistas e não conferem direito de voto aos acionistas. Além disso, assim como os dividendos de ações ordinárias, os dividendos preferenciais não são dedutíveis. Existem vários tipos de ações preferenciais, como por exemplo: ações preferenciais irrecuperáveis, ações preferenciais resgatáveis, ações preferenciais cumulativas, ações preferenciais não cumulativas, ações preferenciais participantes, ações preferenciais conversíveis e ações preferenciais escalonadas.

 

Private Equity

Investimentos de capital feitos via colocações privadas são conhecidos como private equity. Empresas que não podem negociar suas ações publicamente levantam capital privado por meio de empresas privadas limitadas e parceiras. Normalmente, start-ups e pequenas e médias empresas têm acesso limitado ao capital bancário e por isso, levantam capital por meio de investidores institucionais ou investidores privados. Essa limitação se deve ao fato de que os bancos relutam em fazer empréstimos para uma empresa sem histórico comprovado; ou, devido ao acesso limitado ao patrimônio público por não terem uma base acionária grande e ativa.

 

Futuros

O contrato de futuros é negociado entre duas partes firmando o compromisso de compra ou venda de ativos no futuro, com data e preço pré-definidos. Para isso, é importante que todas as características e especificidades do ativo estejam detalhadas no contrato, de modo a diminuir possíveis divergências entre as partes. Geralmente, os seguintes ativos são negociados em contratos futuros: índice futuro Ibovespa, moeda futuro, commodities, boi gordo e DI futuro.

 

Opções

O contrato de opção é unilateral, pois oferece a uma parte o direito, mas não a obrigação de vender ou comprar o ativo subjacente em (ou antes) uma data pré-determinada. Para adquirir esse direito, um prêmio é pago.

 

Swaps

Um swap é uma transação na qual duas partes trocam um fluxo de caixa por outro.

Desafios de levantar capital no ECM

Ao levantar capital no mercado de ações, uma empresa pode enfrentar as seguintes desvantagens:

 

  • O caminho para uma oferta pública pode ser caro e demorado. Numerosos atores estão envolvidos no processo, resultando em uma multiplicação de custos e tempo.

  • Pagamentos de dividendos não são dedutíveis de impostos, diferentemente dos juros sobre dívidas, os pagamentos de dividendos não são dedutíveis.

  • A empresa está sujeita a um controle constante. Enquanto os investidores do mercado acionário são mais tolerantes ao risco em comparação com seus pares no mercado de dívida, eles também estão focados nos retornos.

Global Equity

Contate-nos

Faça parte do nosso Mailing

Nos acompanhe nas Mídias Sociais

  • Grey Facebook Ícone
  • Ícone cinza LinkedIn
  • Grey Instagram Ícone